As Respostas da Vida

Imagem: Yelena Sidorova
O tempo parece muito curto em nossas vidas para nos fazermos felizes diante de tantos caminhos que se apresentam a todos nós, desde pequenos, e saber decidir a cada instante o melhor caminho a seguir não é tão simples assim, quando não possuímos um norte. A falta de referenciais internos, como ideais e princípios calcados no autoconhecimento profundo, geram grande dispersão e dúvida em nossas escolhas no transcorrer da vida. Que caminho seguir? Esta é a pergunta mais freqüente em nosso íntimo, mesmo que não a pronunciemos a todo instante. E esta é também a maior fonte do sofrimento humano: a dúvida! Qual será a profissão que vai me realizar e me fazer feliz de verdade? Que tipo de pessoa me completaria no amor? Como agir? Como viver? Quando dizer sim e quando dizer não! São perguntas cotidianas e que levam a um altíssimo nível de estresse, quando não solucionadas. Mas, para que esta névoa densa de insegurança e medo de errar se dissipe, precisamos de certezas e estas convicções que buscamos nem sempre podem se basear em algo concreto, seguro, pois a vida é feita de riscos inerentes a cada escolha, não há como controlar tudo e todos e, portanto, faz parte da vida a necessidade de superação e auto-superação e as dificuldades são os nossos testes. Compreenda que é a nossa própria consciência que cria estes testes, somos nós mesmos que atraímos o bem ou o mal, a paz ou o conflito, o ganho ou a perda. O carma é um processo interno, nossa consciência é que nos julga e condena, ou nos perdoa e liberta. Não culpe mais ninguém senão, ao culpar os outros, você projeta o seu poder nas mãos destas pessoas. Achando que está demonstrando sua inocência ao acusar culpados, você estará na realidade demonstrando sua omissão e inconsequência por não reconhecer sua responsabilidade ao ter, no mínimo, permitido que o outro agisse como agiu ou estendido demasiado tempo aquela situação indesejada, pois algo em você dizia que já era passada a hora de virar a mesa, mas o seu medo infantil não deixou. Este “algo” que te alerta para refletir sobre novos caminhos a seguir é o seu coração, que por vezes você tenta aprisionar em teias de justificativas e traumas, mas que mais cedo ou mais tarde vai se rebelar contra esta estrutura falsa de vida que foi construída por conveniências e não por verdades essenciais. E esta bússola interior que nos norteia é a nossa alma tomando conta de volta da vida que a sua razão roubou!
A razão, repleta de condicionamentos adquiridos, muitos vezes falha nesta missão de nos conduzir a auto-realização, pois calcula resultados baseando-se em lógicas materialistas, preconceituando o presente e projetando o futuro como se fosse uma réplica do passado e, assim, por julgamento, a razão comete injustiças conosco mesmos e nem sempre o que é “justo” numa concepção humana racional é ético dentro das Leis Universais. Simplificando: quando apenas teorizamos a vida, a dúvida não vai embora. Apenas quando nos entregamos à vida de corpo e alma, aí sim, a dúvida se dilui e o medo desaparece! Pois, o que é a dúvida? É um estado de divisão em entre o sim e o não. A palavra vem do Latim dubitare que significa hesitar entre duas possibilidades, no caso, o passado e o presente, ou o que é e o que poderia ter sido! Sempre que escolhemos algo, renunciamos a outra coisa. É Lei Universal! A evolução se baseia nisto: precisamos de coragem (que significa: aquilo que vem do coração!) para efetuarmos nossas escolhas e assim atrairmos algo e repulsarmos outra coisa! Ficar em cima do muro só acentua a dor da culpa, do medo, e te deixa escravizado a quem decide por você num período de indecisão sua, que para alguns pode durar uma vida inteira! Quem não tem sonhos próprios acaba por se subjugar aos sonhos alheios. Então, siga seu coração, liberte sua intuição que é a capacidade de compreender a vida através dos sentimentos e não somente pela razão e pelos fatos. Os sentimentos nos mostram a verdade por detrás das ilusões! E através de pequenos toques que a vida nos dá que, se ficarmos atentos, extraímos daí grandes lições e sanamos nossas indecisões. Estas são as chamadas mensagens silenciosas! Às vezes é uma palavra dita por um amigo ou até mesmo por um estranho que nos alerta para algo importante que nós já sentíamos, mas não demos a devida importância, mas que era algo essencial. Às vezes é até mesmo uma cena na televisão, ou um acontecimento no trânsito. São “coincidências” nada coincidentes, pois refletem a nossa energia, nossa egrégora pessoal. São demonstrações de que a vida nos dá o que já é uma realidade dentro de nós mesmos! São confirmações de que o caminho certo a seguir é aquele mesmo que seu coração pediu, mas que sua mente racional hesitou e retardou em aceitar. Então, siga suas intuições baseadas em seu coração e saiba observar estas mensagens silenciosas com as quais a vida nos brinda a cada descoberta interior que realizamos, como uma voz divina nos dizendo: você está no caminho certo! Siga seu coração, siga sua alma!!!

Por: Marcello Cotrim
http://www.entrevidas.com.br/

Compartilhe:

0 Comentários Fofos

Ola! Muito obrigada por acessar o Blog e obrigada também por se disponibilizar a comentar as postagens!
Fique a vontade para interagir e seja muito bem vindo (a)!!!

MyFreeCopyright.com Registered & Protected
DMCA.com Protection Status